/Blog Ipanema

Dica Ipanema #04: O que é o Daltonismo?

Publicado em 21 de maio de 2018


Lembra que em nosso último post sobre luz azul, no qual nós citamos uma doença chamada Daltonismo? Então, hoje falaremos sobre essa doença que afeta mais de 180 milhões de pessoas no mundo todo.

Mas o que é o Daltonismo?

Como alguns já devem saber, o daltonismo é uma doença que tem a ver com a percepção de cores. Existem diversos tipos de daltonismo e erroneamente algumas pessoas afirmam que são graus diferentes, porém o que ocorre é a ausência de diferentes tipos de cones receptores em nossa retina e por isso em alguns casos pode ocorrer a não percepção de certas cores, a não percepção de outras cores e mesmo de todas as cores.

O teste de cores de Ishihara é um teste para detecção do daltonismo criado pelo Dr. Shinobu Ishihara. Dependendo do monitor do computador, pessoas com visão normal enxergam o número "74". Muitos portadores do daltonismo enxergam na figura o número "21" e indivíduos com cegueira das cores não enxergam nenhum número.

Fonte: Wikipedia

As cores que enxergamos

A luz chega a nossos olhos através do cristalino que a projeta em uma área no fundo do olho chamada retina, que possui diversas células sensíveis a luz, os cones (sensíveis a faixas do espectro de cores) e os bastonetes (células sensíveis a luminosidade), os cones são divididos em três tipos de cones, cada um deles é sensível a diferentes faixas de cores visíveis por nós humanos, essas faixas visíveis são a azul-violeta, verde e verde-amarelo, que são de forma mais simplificada, classificadas como Azul, Verde e Vermelha respectivamente.

Leia mais sobre espectro de cores visíveis em nosso post sobre luz azul

E é a projeção das cores recebidas por nossos cones e enviadas ao nosso cérebro, que forma as cores que enxergamos, uma vez que nosso cérebro se encarrega de processar a mistura das cores Vermelha, Verde e Azul de forma a gerar todas as cores que enxergamos (exceto os tons de cinza, o famoso “preto e branco”, pois esses ocorrem pela percepção de luminosidade de outro tipo de célula presente em nossa retina, os bastonetes).

E o que causa o daltonismo?

O daltonismo é causado por um gene recessivo, ligado ao cromossomo sexual X, a mutação que leva ao daltonismo atinge com mais frequência os homens uma vez que esses possuem apenas um cromossomo X, enquanto o daltonismo em mulheres é mais raro, pois as mulheres possuem dois cromossomos X, dessa forma mesmo que um deles seja defeituoso o outro compensa, porém o cromossomo defeituoso pode ser transmitido para as próximas gerações.

Porém o daltonismo não ocorre apenas por essa alteração genética, em casos raros o daltonismo pode ocorrer em decorrência de um trauma causado por um acidente ou tumores, lesões neurológicas ou deslocamento da retina.

Foto: FreePik

Tipos de Daltonismo

Conforme dito na abertura do post, erroneamente as vezes fala-se em níveis de daltonismo, porém o que de fato ocorre são diferentes tipos de daltonismo, como dissemos existem três tipos de cones, os responsáveis por receber as cores vermelhas, os responsáveis pelas cores azuis e os responsáveis pelas cores verdes, e assim dependendo da alteração na quantidade de cones ou mesmo ausência deles, a percepção das cores é afetada de diferentes formas.

Assim em termos gerais existem basicamente três formas do daltonismo se manifestar:

A deuteranopia, que é onde ocorre a diminuição ou ausência de cones verdes, na ausência deles a pessoa enxerga em tons de marrom;

Na protanopia , que é a diminuição ou ausência de cones vermelhos, na ausência deles a pessoa enxerga em tons de bege, marrom, verde ou cinza;

E a tritanopia, que é a diminuição ou ausência de cones azuis-amarelos e nesse caso essas cores adquirem tons rosados.

Existem também casos em que a pessoa apresenta diminuição ou ausência de mais de um tipo de cone e assim conseguem apenas distinguir uma cor, alteração na pigmentação dos cones que resultam em uma diminuição da sensibilidade dos respectivos cones, bem como a ausência de cones o que resulta em ver tudo em preto e branco (porém esse caso é extremamente raro, chamado de visão acromática).

Reação de pessoas daltonicas usando lentes que corrigem as distorções de cores causadas pela doença.

Video: Youtube/EnCroma

E tem tratamento?

Quando a doença é resultado de um trauma ou algum outro fator que não a herança genética, ele pode regredir desde que haja o correto tratamento e a pessoa tenha uma reação positiva a essa.

Porém mesmo para quem é daltônico em decorrência de fatores genéticos existe uma forma paliativa de contornar a doença através do uso de lentes corretivas especiais, porém esse apenas funciona para pessoas com redução na quantidade de cones, dessa forma em casos de total ausência de cones de um tipo, os óculos podem não funcionar, ainda assim o criador acredita que os óculos são validos para 80% dos casos de daltonismo.

Mas como esses óculos mágicos funcionam? As lentes desses óculos são revestidas com um material capaz de filtrar as ondas de luz que podem ser enxergadas erroneamente, bloqueando os comprimentos de onda em que há sobreposição, isto é, que podem alterar a percepção das cores.